O antigo diário, arquivado, desactivado...

Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007
Hoje aconteceu-me ter que ir a Leiria entregar um computador e dar formação a uma colega invisual. O computador ia com um software especial para ler o que estava no écran .
Era a primeira vez que ia dar formação a uma pessoa invisual e passei o fim-de-semana todo a pensar como poderia fazê-lo. Não arranjei maneira, ia tocar de ouvido, podia ser que me desenrascasse.
Cheguei lá (muito) antes da hora, preparei o PC, e preparei-me a mim.
Estava a fumar um cigarro quando chegou um carro vermelho, sai o condutor e a pendura. Pela conversa de outra colega percebi que era a minha formanda "especial". Apresento-me aos dois, e vou para dentro, não sem antes ouvi-lo despedir-se dela : "Até já, Princesa". Eu sorri um daqueles sorrisos de lamechas e de alegria, mas só para mim...

Tomei muito cuidado para não utilizar palavras como "ver "ou "olhe" (deve ter escapado uma ou outra...). Nunca tinha visto um utilizador (palavra que significa, para os técnicos como eu, o gajo/a que mexe no computador) a aprender tão rápido! Eu coloquei um teclado novo, ao qual ela não estava habituada, disse-lhe UMA vez onde estava a tecla Delete " e não foi preciso dizer mais vez nenhuma! Experimentem escrever qualquer coisa de olhos fechados...

Tecnicidades à parte, o software não funcionou... E o que mais me surpreendeu foi a calma, a descontracção da "Princesa" ao dizer-me que "Ser cego é muito complicado. É como ter pão e não ter dentes para o comer".

Ainda bem que eu tenho dentes, e olhos, e boca, e ouvidos! Não consigo imaginar o que seria ficar sem ver ou ouvir ou falar. PARA SEMPRE!! Podemos "brincar" e fechar os olhos ou tapar os ouvidos, mas isso não é para sempre. Quando virem aquela pessoa que gostam muito, imaginem o que seria não a ver. Assusta e muito!!

Mesmo assim, com todas as contrariedades da vida, a minha colega Princesa, tem sempre um sorriso lindo e uma palavra simpática, de quem não tem raiva por não conseguir olhar com os olhos.

Ainda bem que fui a Leiria, e ainda bem que conheci a Princesa!
sinto-me: agradecido
publicado por Tenrinho às 15:01
link do post | comentar | | | favorito

As pessoas com este tipo de problemas, na sua maioria são pessoas com personalidades extraordinárias e com uma força de vontade enorme.

Conheço um casal, em que ambos são cegos desde nascença . Mas levam uma vida normal, são ambos grandes profissionais. Têm uma filha da minha idade, e apenas dependem desta para lhe fazer as compras, pois os nossos centros comerciais ainda se esquecem das dificuldades destas pessoas.
Mundo que me rodeia.. a 11 de Dezembro de 2007 às 16:54

Isto pode parecer um pouco mal, mas eu nunca tinha tido nenhum contacto com uma pessoa invisual. Não fazia mesmo ideia. Não estou a ser paternalista, só pensava que poderiam ter mais dificuldades...
Tenrinho a 12 de Dezembro de 2007 às 08:15

Tives-te um bom exemplo, exemplo de como se pode lutar pela vida mesmo com dificuldades... Por vezes penso, nós nos queixamos ainda, ou por isto ou por aquilo, mas pessoas com essas dificuldades é que deviam se queixar mais e não se queixam...Lutam, sabendo sempre que te existe algo que os impede de fazer mais...
sigacafe a 12 de Dezembro de 2007 às 20:45


mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
15

16
17
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


últ. comentários
Muito obrigado!
Sejas benvido e boa sorte para o teu futuro!
Realmente o texto é muito bom.Beijinhos e boa sema...
O blog vai continuar, só muda de endereço. O resto...
Ooooooooohhhhhhhhhhhhhhh, mas eu quero a continuaç...
Já me tinham passado esse desafio. Vou responder a...
Por vezes é preciso acalmar para ganhar balanço.Be...
Tens um desafio no meu blog, passa por lá.Bjs
A tua passagem de ano, foi muito identica a minha....
Vou tentar responder...Abraços.

blogs SAPO


Universidade de Aveiro